Nota do CRP-MG em apoio ao trabalho da Pastoral do Povo de Rua

O Conselho Regional de Psicologia- Minas Gerais (CRP-MG) vem a público manifestar seu repúdio diante da declaração do Sr. Alexandre Kalil, prefeito de Belo Horizonte, em entrevista concedida a radio Itatiaia. Na entrevista, o prefeito ataca as pastorais sociais e o trabalho histórico da Arquidiocese de Belo Horizonte em favor da população em situação de rua por direitos e dignidade.

O CRP MG, a partir do seu compromisso de zelar pela fiel observância dos princípios éticos e contribuir para o desenvolvimento da Psicologia como ciência e profissão, vem reconhecer o importante trabalho executado há mais de 30 anos pela pastoral, que encontra diversos profissionais em seus quadros, entre eles psicólogas (os) altamente capacitados e comprometidos com a ética profissional.

A resposta que vislumbramos com o trabalho realizado pela pastoral precisa ser reconhecido e apresentado com seu devido valor, visto a sua importância não apenas pelo reconhecimento do sujeitos e de sua dignidade humana, mas para a política pública que se apresenta hoje.

O protagonismo do município de Belo Horizonte na construção dos princípios e pilares da política pública para pessoas em situação de rua, perpassa inegavelmente, na ação da Pastoral de Rua. Salientamos os trabalhos realizados por esse grupo no fomento e consolidação de importantes equipamentos sociais em parceria com a gestão pública como: a constituição da ASMARE, o Centro de Referência para Pessoas em Situação de Rua, a moradia social, as frentes de trabalho e renda e outros trabalhos onde a pessoa em situação de rua é vista como protagonista da sua história. Ao pronunciar que “a pastoral tem que cuidar da pedofilia de padre”, o prefeito desconsidera todo trabalho realizado pelo grupo, bem como a capacidade ativa do grupo na produção do conhecimento e na efetivação da política pública.

Referenciamos também a importância de garantirmos o direito de ir e vir do cidadão e principalmente o Direito da moradia digna.

O Conselho Regional de Psicologia – Minas Gerais tem a Pastoral como uma grande parceira na luta pela promoção dos Direitos Humanos e no fomento das políticas públicas. Perante a isso reforçamos nosso apoio e respeito a todas as conquistas alcançadas pelas ações de promoção da dignidade humana e respeito deste grupo e repudiamos a fala do prefeito.

Belo Horizonte, 5 de outubro de 2018
XV Plenário do Conselho Regional de Psicologia – Minas Gerais

Logomarca do CRP-MG