Nota de repúdio à violência contra educadoras(es) em Belo Horizonte

O Conselho Regional de Psicologia – Minas Gerais (CRP-MG) torna pública sua indignação diante das lamentáveis cenas de truculência, violência e desrespeito ocorridas no dia 23 de abril de 2018, em Belo Horizonte, durante a manifestação de educadoras(es), pais e crianças que, pacificamente, reivindicavam melhores condições de trabalho e de remuneração para profissionais da Educação Infantil.

Para a Psicologia – ciência que privilegia a escuta – a ausência de diálogo, a falta de sensibilidade e o uso desnecessário da força policial, além de colocarem em risco a população, são contrários aos preceitos democráticos construídos no nosso país. As reivindicações por melhores condições de trabalho e por renumeração digna é uma luta histórica, justa, legítima e necessária em um país que pretende se consolidar com justiça social.

As(os) docentes na área da Educação Infantil, em sua maioria mulheres, são responsáveis pelo cuidado das nossas futuras gerações e, por isso, ajudam a construir um futuro melhor e merecem todo o nosso reconhecimento.

A ausência de diálogo desencadeou cenas lastimáveis que não condizem com o sistema democrático e nem com a postura dialógica tão preconizada pelas(os) educadoras(es) a quem prestamos nossas homenagens de apreço e consideração. Esperamos que o diálogo seja reestabelecido e afirmamos nosso compromisso de não nos omitirmos diante de atos de caráter repressivo, excludente e violento, tais como os que ocorreram.

Belo Horizonte, 25 de abril 2018
XV Plenário do Conselho Regional de Psicologia – Minas Gerais

Logomarca do CRP-MG