Primeiro pré-congresso é marcado por propostas envolvendo direitos humanos

No sábado (8/12), aconteceu, em Belo Horizonte, o primeiro pré-congresso da sede do Conselho Regional de Psicologia – Minas Gerais (CRP-MG) para o 10° Congresso Regional da Psicologia (Corep). O tema do evento foi “Direitos Humanos como articulador da prática profissional” e teve como objetivo definir as propostas e eleger delegadas (os) para o Corep. Clique aqui para ver as fotos.

A coordenação do pré-congresso foi feita por Dalcira Ferrão, psicóloga, conselheira presidenta e coordenadora das comissões Psicologia, Gênero e Diversidade Sexual e Psicologia e Relações Étnico-raciais do CRP-MG; e Reinaldo da Silva Júnior, psicólogo, doutor e mestre em Ciência da Religião, conselheiro e coordenador das comissões Psicologia, Laicidade, Espiritualidade, Religião e Outros Saberes Tradicionais e de Direitos Humanos do CRP-MG.

O evento contou com a participação de integrantes de todas as comissões do CRP-MG. O tema escolhido mostrou a articulação do trabalho desses grupos com os direitos humanos.

Perda de direitos – Ao abrir o pré-congresso Dalcira Ferrão ressaltou a importância do tema a ser abordado, explicando que ele afeta diretamente a sociedade e, principalmente, as(os) profissionais da Psicologia: “O contexto de perda de direitos não está apenas na esfera do macro. Não é apenas mais uma discussão partidária que tem relação com as eleições presidenciais. É algo sobre nós. É necessário que cada vez mais a gente se implique e fale sobre isso”.

Reinaldo da Silva Júnior complementou explicando que o tema dos direitos humanos se articula com a campanha do Conselho Federal de Psicologia ‘A psicologia respeita as pessoas’ e torna-se importante por ser algo inerente a profissão: “A psicologia enquanto ciência e ofício está intimamente comprometida com os diretos humanos. Não é possível pensa-la de forma diferente. Se não fosse, não seria Psicologia”. Segundo ele as propostas a serem levadas para o 10° Corep devem ser baseadas no papel da Psicologia de acolher o sofrimento.  “Elas devem ser pensadas além do individual. Pensadas para defender o nosso campo de fazer, nossas abordagens teóricas e devem ter suas linhas de ação comprometidas com a promoção de uma sociedade mais justa. ”

A presidenta do CRP-MG complementou que o trabalho a ser realizado nos pré-congressos é feito por meio da construção de muitas mãos:  “O objetivo é juntar essa pluralidade, com diversas visões de mundo e experiências diferentes, pois essa é a cara da Psicologia e do Conselho”.

Ela encerrou frisando a importância da participação das(os) profissionais e estudantes da Psicologia para a construção de uma formação melhor e uma sociedade mais consciente. “Não adianta só ter o discurso e não ter a prática. Precisamos avançar e nos aproximar mais e esse é um momento propício para isso”, concluiu.

Sobre os pré-congressos – Na sede do CRP-MG já estão definidos os próximos pré-congressos. Serão todos em fevereiro de 2019 nos dias 1º (Orientação e fiscalização), 6 (Ética e avaliação psicológica) e 15 (Política de assistência social). As inscrições são gratuitas já estão abertas. Basta enviar mensagem para estagio.rp@crp04.org.br informando nome completo, profissão e título do pré-congresso.